Timeline

  • 1891

    1891

    John Graz

    EM 12 DE ABRIL DE 1891, NASCE O PINTOR, ILUSTRADOR, DECORADOR E ESCULTOR SUÍÇO-BRASILEIRO JOHN LOUIS GRAZ, EM GENEBRA.

    Lasar Segall

    NO DIA 21 DE JULHO, NASCE EM VILNA (ATUAL TERRITÓRIO DA LITUÂNIA), LASAR SEGALL, PINTOR E ESCULTOR MODERNISTA.

  • 1913

    1913

    Lasar Segall e a Arte Moderna

    AS PRIMEIRAS EXPOSIÇÕES DE ARTE MODERNA DE NOSSA HISTÓRIA FORAM MONTADAS PELO RUSSO LASAR SEGALL, EXPOENTE DO MOVIMENTO EXPRESSIONISTA ALEMÃO QUE, A PARTIR DE 1923 VIRIA A VIVER DEFINITIVAMENTE NO BRASIL.

  • 1922

    1922

    John Graz, Vanguardas Européias e Modernismo Brasileiro

    NO BRASIL DESDE 1920, O MULTIARTISTA SUIÇO JOHN GRAZ TROUXE NA BAGAGEM A INFLUÊNCIA DAS VANGUARDAS EUROPEIAS E LOGO FOI ACOLHIDO PELO MODERNISMO BRASILEIRO, SENDO UM DOS ARTISTAS A EXPOR NA SEMANA DE ARTE MODERNA DE 22.

    Semana de Arte Moderna

    EM FEVEREIRO DE 1922, ACONTECE EM SÃO PAULO A SEMANA DE ARTE MODERNA. O EVENTO DÁ INÍCIO À CORRENTE MODERNISTA NO PAÍS, NAS ARTES, ARQUITETURA E DESIGN.

  • 1923

    1923

    Geraldo de Barros

    UM DOS PIONEIROS DA FOTOGRAFIA ABSTRATA E DO MOVIMENTO CONCRETISTA NO BRASIL, GERALDO DE BARROS SE DEDICOU SISTEMATICAMENTE AO DESIGN INDUSTRIAL, PENSANDO A ATIVIDADE A PARTIR DOS PRES- SUPOSTOS CONCRETISTAS QUE EVOCAVAM AS RELAÇÕES ENTRE ARTE E TÉCNICA, CONCRETO E ABSTRATO.

  • 1925

    1925

    John Graz

    COM VASTA PRODUÇÃO DE PINTURA E ARTES GRÁFICAS, JOHN GRAZ GANHOU NOTORIEDADE PELOS PROJETOS DE INTERIORES, PARA OS QUAIS CRIAVA MÓVEIS, VITRAIS, TAPEÇARIA E OUTROS ÍTENS, INCORPORANDO O CONCEITO DE ARTES APLICADAS COM REFERÊNCIAS DA BAUHAUS, DO ESTILO ART DECÓ E DO CUBISMO.

  • 1928

    1928

    A 1ª Casa Modernista

    UCRANIANO FORMADO EM ROMA, GREGORI WARCHAVCHIK FOI PRECURSOR DA ARQUITETURA MODERNA NO BRASIL, ESCREVENDO UM MANIFESTO CONTUNDENTE A RESPEITO E LECIONANDO NA ESCOLA NACIONAL DE BELAS ARTES. PROJETOU PARA SEU USO FAMILIAR AQUELA QUE FOI CONSIDERADA A PRIMEIRA RESIDÊNCIA DO NOVO ESTILO NO PAÍS. AS NOVAS FORMAS DE MORAR NA MODERNIDADE FORAM O TEMA CENTRAL DA ARQUITETURA PRECONIZADA POR WARCHAVCHIK. A AMBIENTAÇÃO ERA PARTE INDISSOCIÁVEL DO RESULTADO, O QUE LEVOU O ARQUITETO A DESENHAR O MOBILIÁRIO DE SUA CASA E DE OUTROS PROJETOS.

  • 1931

    1931

    Joaquim Tenreiro

    O PORTUGUÊS JOAQUIM TENREIRO FOI O RESPONSÁVEL POR PRIMEIRO ESTABELECER UM ESTILO VERDADEIRAMENTE BRASILEIRO PARA O MÓVEL MODERNO. FILHO E NETO DE MARCENEIROS, INICIOU SEU PERCURSO NAS ARTES, INTEGRANDO O NÚCLEO BERNARDELLI AO LADO DE NOMES COMO MILTON DACOSTA E JOSÉ PANCETTI.

  • 1932

    1932

    Lasar Segall e o design

    ARTISTA MULTIDISCIPLINAR, LASAR SEGALL TEVE UMA INCURSÃO PONTUAL NO DESIGN: DESENHOU UMA SÉRIE DE MÓVEIS PARA SUA RESIDÊNCIA, PROJETADA POR GREGORI WARCHAVCHIK, PIONEIRO DA ARQUITETURA MODERNA ENTRE NÓS. HOJE, A CASA ABRIGA O MUSEU LASAR SEGALL.

  • 1942

    1942

    Joaquim Tenreiro

    EMPREGADO EM UMA GRANDE MARCENARIA, JOAQUIM TENREIRO PRODUZIA “MÓVEIS DE ESTILO” ATÉ TER A PRIMEIRA OPORTUNIDADE DE APRESENTAR OS PROJETOS AUTORAIS QUE MANTINHA NA GAVETA, PRONTAMENTE ACEITOS. NÃO POR ACASO, O ARQUITETO DA CASA, NA MINEIRA CATAGUAZES, ERA OSCAR NIEMEYER. NO ANO SEGUINTE, O DESIGNER ABRIA SUA PRIMEIRA LOJA PRÓPRIA.

  • 1945

    1945

    Paulo Werneck

    INTRODUTOR DA TÉCNICA DO MOSAICO NO BRASIL, PAULO WERNECK FOI AUTOR DE MAIS DE UMA CENTENA DE PAINÉIS E MURAIS, SEMPRE EM DIÁLOGO COM A ARQUITETURA MODERNA. PRODUZIU TAMBÉM PEÇAS DE MOBILIÁRIO COMO A MESA GASPAR, DESENVOLVIDA NAS OFICINAS DO AMIGO JOAQUIM TENREIRO.

  • 1948

    1948

    Oswaldo Bratke

    UM DOS NOMES MAIS PRODUTIVOS DA ARQUITETURA MODERNA BRASILEIRA, OSWALDO BRATKE MARCOU SUA TRAJETÓRIA COM O PROJETO DE DUAS CIDADES NO CORAÇÃO DA FLORESTA AMAZÔNICA, CONSTRUÍDAS NOS ANOS 60. EM 1948, PROJETOU A CADEIRA INSPIRADO NAS VIAGENS DE PESQUISA À REGIÃO E EM SEUS ESTUDOS SOBRE HABITAÇÃO POPULAR.

    Lina Bo Bardi

    SEMPRE COM UMA POSTURA CRÍTICA E CONCEITUAL, A ARQUITETA ITALIANA LINA BO BARDI ENCONTROU NA SÃO PAULO DO PÓS-GUERRA TERRA FÉRTIL PARA SEUS EXPERIMENTOS MODERNISTAS. A PARTIR DE 1948, POR CURTO PERÍODO, MANTEVE O STUDIO DE ARTE PALMA, EMPREENDIMENTO NO RAMO MOBILIÁRIO, EM QUE, EM PARCERIA COM PIETRO MARIA BARDI E GIANCARLO PALANTI, ELEVOU ESPECIFICIDADES DA CULTURA BRASILEIRA AO PRIMEIRO PLANO.

    Giuseppe Scapinelli

    O ARQUITETO ITALIANO GIUSEPPE SCAPINELLI DEU UMA CONTRIBUIÇÃO ÍMPAR ÀS ARTES DECORATIVAS E AO MOBILIÁRIO MODERNO BRASILEIROS. EM SUA VASTA OBRA, NÃO SE ATEVE ÀS REFERÊNCIAS DE OUTROS AUTORES, MESCLANDO ELEMENTOS MODERNOS COM RELEITURAS DE MÓVEIS CLÁSSICOS, CONCEITOS DE AERODINAMISMO E A ADIÇÃO DE OUTROS MEIOS DE ARTE COMO PINTURA E CERÂMICA.

  • 1949

    1949

    José Zanine Caldas

    MAQUETISTA DOS MAIORES NOMES DA ARQUITETURA MODERNA, O AUTODIDATA JOSÉ ZANINE CALDAS TORNOU-SE ELE MESMO UM DOS GRANDES ARQUITETOS BRASILEIROS. ANTES DISSO, ENTRETANTO, DEDICOU-SE AO DESIGN DE MÓBILIÁRIO, FUNDANDO A MÓVEIS ARTÍSTICOS Z, PIONEIRA NA PRODUÇÃO EM ESCALA INDUSTRIAL, COM BASE NA OTIMIZAÇÃO DE PLACAS DE COMPENSADO DE MADEIRA.

  • 1952

    1952

    Branco & Preto

    RAPIDAMENTE, A BRANCO & PRETO, SITUADA NA RUA VIEIRA DE CARVALHO, CENTRO DE SÃO PAULO, VIROU PONTO DE ENCONTRO DOS ARQUITETOS MODERNINSTAS, E ALI SURGIRAM CLÁSSICOS DO ESTILO COMO A POLTRONA MF5.

    Branco & Preto

    A PERCEPÇÃO, POR UM GRUPO DE JOVENS ARQUITETOS – MIGUEL FORTE, JACOB RUCHTI, PLÍNIO CROCE, ROBERTO AFLALO, CARLOS MILLAN E CHE Y HAWA –, DE UM MERCADO CRESCENTE E NÃO ATENDIDO DE ARQUITETURA DE INTERIORES E MOBÍLIA MODERNA EM SÃO PAULO MOTIVOU A FUNDAÇÃO DA LOJA BRANCO & PRETO.

  • 1954

    1954

    Geraldo de Barros, designer

    NA UNILABOR, QUE TEVE GERALDO DE BARROS COMO PRINCIPAL DESIGNER E UM DOS FUNDADORES, FICA PATENTE O INTERESSE POR UMA ATUAÇÃO NO CAMPO POLÍTICO-SOCIAL, ESTABELECENDO COM OS FUNCIONÁRIOS UM MODELO COOPERATIVO E AUTOGERIDO.

  • 1956

    1956

    Giuseppe Scapinelli, Margutta e Revista Casa e Jardim

    ALÉM DE TORNAR-SE UM EMPRESÁRIO DE SUCESSO NO RAMO, FUNDANDO FÁBRICAS DE MÓVEIS E TAPETES E LOJAS COMO A MARGUTTA, INAUGURADA EM 1956, GIUSEPPE SCAPINELLI FOI IMPORTANTE DIVULGADOR DO TEMA, ESPECIALMENTE NA COLUNA QUE ASSINOU NA REVISTA CASA E JARDIM.

  • 1957

    1957

    Sergio Rodrigues e a premiada Poltrona Mole

    NOME ÍCONE DO DESIGN MODERNO BRASILEIRO, SERGIO RODRIGUES SE CONTRAPÔS À PRODUÇÃO DA ÉPOCA EM BUSCA DE UMA IDENTIDADE NACIONAL PARA SEUS MÓVEIS. SURGIRAM ENTÃO EXEMPLARES IMPROVÁVEIS, COMO A BRUTA POLTRONA MOLE, DESENHADA EM 1957 E, APÓS ANOS SEM DEMANDA, PREMIADA EM 1961 NO CONCORSO INTERNAZIONALE DEL MOBILE, EM CANTÚ, ITÁLIA, GANHANDO NOTORIEDADE E LEVANDO O GOSTO DOMINANTE DA ÉPOCA À RECAPITULAÇÃO.

  • 1959

    1959

    Jorge Zalszupin e a L'Atelier

    À FRENTE DA L’ATELIER, FUNDADA POR ELE PARA ATENDER À DEMANDA DE SEUS PROJETOS DE ARQUITETURA, O POLONÊS JORGE ZALSZUPIN TORNOU-SE DESIGNER PELA FORÇA DO OFÍCIO, COMO TANTOS OUTROS. PROJETOU VERDADEIRAS JOIAS DE JACARANDÁ COMO O CARRINHO DE CHÁ, DO MESMO ANO DE INAUGURAÇÃO DA LOJA.

  • 1961

    1961

    Oscar Niemeyer e a construção de Brasília

    A CONSTRUÇÃO DE BRASÍLIA FOI A CONSAGRAÇÃO DA ARQUITETURA MODERNA BRASILEIRA E, EM ESPECIAL, DE OSCAR NIEMEYER, RECONHECIDO COMO UM DOS GÊNIOS GLOBAIS DESTA ATIVIDADE. BRASÍLIA REPRESENTOU TAMBÉM, PELAS ENCOMENDAS DIRETAS PARA SEUS DIVERSOS PRÉDIOS PÚBLICOS E PELO PODER DIFUSOR DO IMAGINÁRIO MODERNISTA, UM MARCO FUNDAMENTAL DE FORTALECIMENTO DA PRODUÇÃO MODERNA DE MOBILIÁRIO NO BRASIL.

  • 1968

    1968

    Inauguração do MASP

    CONSIDERADO A OBRA-PRIMA DE LINA BO BARDI, NO CORAÇÃO DE SÃO PAULO, O MASP EXPRESSA TAMBÉM ALGUMAS DE SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA O DESIGN. A MAIS REPRESENTATIVA SÃO OS CAVALETES EXPOSITIVOS, QUE INOVARAM A FORMA DE MOSTRAR ARTE EM UM GRANDE MUSEU.

  • 1970

    1970

    Jorge Zalszupin

    JORGE ZALSZUPIN TRABALHOU NO LIMITE DOS MATERIAIS E INTRODUZIU NOVAS TECNOLOGIAS NO MERCADO BRASILEIRO. NA DÉCADA DE 1970, FOI PIONEIRO DA CONCEPÇÃO E PRODUÇÃO DE MÓVEIS E OBJETOS DE PLÁSTICO COMO O PUTZKIT, PENSADOS PARA ATINGIR ESCALA INDUSTRIAL.

    José Zanine Caldas e Móveis Z

    NOS ANOS 1970, JOSÉ ZANINE CALDAS SE MUDOU PARA NOVA VIÇOSA, NO LITORAL SUL DA BAHIA, E RETOMOU O TRABALHO DE DESIGNER, CRIANDO MÓVEIS ARTESANAIS, EM GERAL ESCULPIDOS A PARTIR DE TORAS DE MADEIRA DESCARTADA, EM COMPLETA OPOSIÇÃO À RACIONALIDADE DOS MÓVEIS Z.

  • 1971

    1971

    Anna Maria e Oscar Niemeyer

    COM SUA POLTRONA ALTA, PRIMEIRO DOS POUCOS MÓVEIS QUE DESENHOU, SEMPRE EM PARCERIA COM A FILHA ANNA MARIA, OSCAR NIEMEYER DEFENDE O ALINHAMENTO DOS ELEMENTOS QUE COMPÕEM UM AMBIENTE COM SUA LINGUAGEM ARQUITETÔNICA. A POLTRONA FOI LANÇADA EM PARIS DURANTE O EXÍLIO DO ARQUITETO; HOJE MARCA A PAISAGEM EM OBRAS SUAS DE BRASÍLIA COMO O ITAMARATY E A CÂMARA DOS DEPUTADOS.

  • 1974

    1974

    Icônica Marquesa de Oscar Niemeyer e sua filha Anna Maria

    CRIAÇÃO DO BANCO MARQUESA, POR ANNA MARIA E OSCAR NIEMEYER.

  • 1975

    1975

    Isay Weinfeld

    ISAY WEINFELD, UM DOS NOMES MAIS CELEBRADOS DA ARQUITETURA BRASILEIRA, DÁ INÍCIO À SUA PRÁTICA ARQUITETÔNICA, EM PARALELO À CRIAÇÃO DE FILMES E DE CENOGRAFIA. O PONTO DE PARTIDA DE CADA OBRA É UM CONCEITO FORTE, INSTIGADO POR REFERÊNCIAS DIVERSAS DO DENSO ESTOFO CULTURAL DO ARQUITETO PAULISTA, E QUE SERÁ EXTERIORIZADO POR CADA PORMENOR DO PROJETO.

  • 1978

    1978

    Carlos Motta

    MISTO DE MARCENARIA E LOJA, O ATELIER CARLOS MOTTA É ABERTO EM UM GALPÃO NA VILA MADALENA, EM SÃO PAULO. O PARALELISMO ENTRE CRIAÇÃO E PRODUÇÃO SERÁ FUNDAMENTAL PARA O DESIGNER. A FACILIDADE DE TESTAR PROTÓTIPOS O INFLUENCIARÁ POSITIVAMENTE NA CRIAÇÃO DE UM NÚMERO SURPREENDENTE DE MODELOS DE CADEIRAS E POLTRONAS, NOTÓRIAS POR SEU CONFORTO.

  • 1980

    1980

    Claudia Moreira Salles

    A DESIGNER CARIOCA CLAUDIA MOREIRA SALLES MUDA-SE PARA SÃO PAULO, ONDE TRABALHA INICIALMENTE PARA A EMPRESA DE MÓVEIS DE ESCRITÓRIO ESCRIBA. PASSA A DESENVOLVER PROJETOS DE MOBILIÁRIO E DE INTERIORES POR ENCOMENDA, E TEM ALGUMAS DE SUAS CRIAÇÕES EXPOSTAS NA LOJA DE FULVIO NANNI, POR MEIO DA QUAL CONHECERÁ ETEL CARMONA.

  • 1981

    1981

    Fulvio Nanni

    FULVIO NANNI (1952-1995), DESIGNER ITALIANO FORMADO PELA POLITÉCNICA DE MILÃO, ABRE A NANNI MOVELARIA EM SÃO PAULO. FULVIO INTRODUZ AS INFLUÊNCIAS DO DESIGN PÓS-MODERNO DE ALESSANDRO MENDINI E ETTORE SOTTSASS AO UTILIZAR, ENTRE OUTROS RECURSOS, COR E FIGURAÇÃO. A OBSERVAÇÃO AGUDA DE MUDANÇAS NO AMBIENTE DOMÉSTICO E DE TRABALHO O FAZ, ALÉM DISSO, PERSEGUIR NOÇÕES DE FLEXIBILIDADE E DE MOBILIDADE.

  • 1985

    1985

    ETEL

    ETEL CARMONA TRANSFERE SUA MARCENARIA, ENTÃO UM PEQUENO “LABORATÓRIO PESSOAL” INSTALADO EM SEU SÍTIO NO INTERIOR PAULISTA, PARA UM GALPÃO EM VALINHOS, NO QUAL PASSA A TRABALHAR COM MAIS DE 20 ARTESÃOS – MUITOS DELES NÃO DEIXARÃO MAIS A EMPRESA, A EXEMPLO DO MESTRE MOACIR TOZZO.

  • 1986

    1986

    Lia Siqueira

    LIA SIQUEIRA ESTABELECE, NO RIO DE JANEIRO, O ESCRITÓRIO AZUL ARQUITETURA, UM DOS PRINCIPAIS EXPOENTES DA ARQUITETURA CONTEMPORÂNEA CARIOCA. SUAS CASAS SÃO REFÚGIOS DE SOSSEGO. É FUNDAMENTAL A ANÁLISE DE COMO A LUZ ADENTRA AS CONSTRUÇÕES – BRISES DESENHAM A LUZ EM INTERIORES AGRADÁVEIS, QUE COMBINAM PRINCIPALMENTE O BRANCO E A MADEIRA.

    Lina Bo Bardi

    LINA BO BARDI (1914-1992) IDEALIZA A CADEIRA FREI EGÍDIO PARA O SESC POMPEIA E, NO ANO SEGUINTE, A CADEIRA GIRAFA PARA A CASA DO BENIN, EM SALVADOR. AS PEÇAS SE TORNAM ÍCONES DA MARCENARIA BARAÚNA, FUNDADA NO MESMO ANO PELOS CO-CRIADORES DOS PROJETOS, OS ARQUITETOS MARCELO FERRAZ E MARCELO SUZUKI.

  • 1988

    1988

    ETEL

    INAUGURAÇÃO DA PRIMEIRA MARCENARIA ETEL.

  • 1990

    1990

    ETEL

    COLEÇÃO ETEL

  • 1991

    1991

    Sergio Rodrigues e seu grande amigo Adolpho Bloch

    SERGIO RODRIGUES (1927-2014) RECEBE A ENCOMENDA DE ADOLPHO BLOCH PARA CRIAR SUA NOVA MESA E POLTRONA DE TRABALHO. SÃO PEÇAS CARREGADAS DE AFETO, JÁ QUE O EMPRESÁRIO PRATICAMENTE MONTOU UMA MARCENARIA PARA SERGIO DEPOIS QUE O DESIGNER HAVIA FECHADO SUA EMPRESA OCA, COM O INTUITO DE PRODUZIR TODO O MOBILIÁRIO DA SEDE DA REDE MANCHETE NO RIO DE JANEIRO. OS DESENHOS ROBUSTOS FORAM FEITOS AO GOSTO DO EXIGENTE CLIENTE E ENCONTRAM-SE REEDITADOS PELA ETEL.

    Banco Dueto de Claudia Moreira Salles, a primeira peça

    A MARCENARIA DE ETEL CARMONA PRODUZ O BANCO DUETO DE CLAUDIA MOREIRA SALLES. ESSA PRIMEIRA DARÁ FRUTOS A MUITOS OUTROS MÓVEIS DE PEQUENA TIRAGEM E CONFECÇÃO IMPECÁVEL, QUE SERÃO MARCADOS PELA PREFERÊNCIA POR FORMAS PURAS, DEPURADAS DE EXCESSOS.

    Marcelo Cipis e ETEL

    MARCELO CIPIS PARTICIPA DA 21ª BIENAL DE ARTE DE SÃO PAULO COM A INSTALAÇÃO CIPIS TRANSWORLD – ART, INDUSTRY AND COMMERCE, EMPRESA FICTÍCIA QUE INCORPORA IDEIAS PROGRESSISTAS DO INÍCIO DO CAPITALISMO. O MOBILIÁRIO “ANOS 1930” DO ESPAÇO UTÓPICO FOI DESENHADO PELO DESIGNER FULVIO NANNI E PRODUZIDO EM MADEIRAS NOBRES PELA ETEL.

  • 1993

    1993

    ETEL Interiores, primeiro showroom

    UM CHARMOSO GALPÃO EM PINHEIROS, EM SÃO PAULO, É ESCOLHIDO POR ETEL CARMONA PARA COMERCIALIZAR SUAS PRIMEIRAS CRIAÇÕES. SEU DESIGN SERÁ FRUTO DA PROXIMIDADE DIÁRIA COM O PROCESSO PRODUTIVO NA MARCENARIA, QUE NELA INSTIGAM A OUSADIA DE SOLUÇÕES CONSTRUTIVAS E O USO VARIADO DE ESPÉCIES DE ÁRVORES.

  • 1995

    1995

    José Bento

    ETEL REALIZZA LA PRIMA MOSTRA DELL’ARTISTA DI MINAS GERAIS, JOSÉ BENTO, A SÃO PAULO, ANCORA NEL SUO INDIRIZZO DI RUA DR. VIRGÍLIO DE CARVALHO PINTO NEL QUARTIERE DI VILA MADALENA. QUI VENGONO ESPOSTI GLI ALBERI CHE L’ARTISTA SCOLPISCE IN TRONCHI SOLIDI DI LEGNO DI SCARTO.

    Lançamento do livro

    O LIVRO “MÓVEL MODERNO NO BRASIL” É LANÇADO NAS PRIMEIRAS INSTALAÇÕES DA ETEL, EM PINHEIROS. O TRABALHO ACADÊMICO DE MARIA CECILIA LOSCHIAVO FOI PIONEIRO EM APONTAR E CRIAR NARRATIVAS SOBRE O MOBILIÁRIO BRASILEIRO DOS ANOS 1920 A 60, TORNANDO-SE LEITURA OBRIGATÓRIA PARA OS PESQUISADORES DA ÁREA.

  • 1999

    1999

    Studio Arthur Casas

    ESCALAS TÃO DISTINTAS COMO A DE UMA PRAÇA PÚBLICA E A DE UM JOGO DE TALHERES CONVERGEM NA PRÁTICA DO STUDIO ARTHUR CASAS, FUNDADO EM SÃO PAULO NO ALVORECER DO NOVO MILÊNIO. O ARQUITETO UNE AO “DESENHO TOTAL” A SENSIBILIDADE BRASILEIRA, EM PROJETOS NO BRASIL, ESTADOS UNIDOS, FRANÇA, CHINA, MÉXICO E JAPÃO. DESENHOU MÓVEIS E OBJETOS PARA INDÚSTRIAS COMO POLIFORM, MISURAEMME E RIVA.

  • 2002

    2002

    Fundação da Aver Amazônia no Acre

    EM XAPURI, NO ACRE, TERRA DO AMBIENTALISTA CHICO MENDES, ETEL CARMONA FUNDA A EMPRESA AVER AMAZÔNIA, PRIMEIRA FLORESTA COMUNITÁRIA CERTIFICADA DO BRASIL. O PROJETO SOCIOAMBIENTAL CRIOU UMA REDE DE ARTESÃOS QUE, SOB A CONDUTA DA DESIGNER, CONFECCIONAM ACESSÓRIOS DE DECORAÇÃO ÚNICOS.

    Warchavchik por ETEL

    ETEL PASSA A REEDITAR PEÇAS DO ARQUITETO GREGORI WARCHAVCHIK, QUE CONSTRUIU A PRIMEIRA CASA MODERNISTA DO BRASIL.

  • 2004

    2004

    Branco & Preto por ETEL

    ETEL PASSA A REEDITAR MÓVEIS DO COLETIVO DE ARQUITETOS BRANCO & PRETO, DA DÉCADA DE 1950.

    Isay Weinfeld por ETEL

    ISAY WEINFELD DESENHA O BAR TOTÓ PARA A ETEL. A PEÇA SUBVERTE A TIPOLOGIA TRADICIONAL DO UTILITÁRIO AO CRIAR UM CAIXA-GAVETEIRO TRANSPORTÁVEL. A CRIAÇÃO É CENOGRÁFICA E BEM-HUMORADA, E CONTINUA A LINHAGEM DE MÓVEIS PARA ARMAZENAR COISAS HUGUINHO, ZEZINHO E LUIZINHO, QUE ELE HAVIA LANÇADO DOIS ANOS ANTES. O APARADOR ZEZINHO VENCE, TAMBÉM EM 2014, O PRÊMIO MELHOR DESIGN CONTEMPORÂNEO NA FEIRA DECOREX, EM LONDRES.

  • 2006

    2006

    Dado Castello Branco por ETEL

    MÓVEIS DE DADO CASTELLO BRANCO ENTRAM PARA A COLEÇÃO ETEL. NELES, O ARQUITETO IMPRIME O TRAÇO ELEGANTE DAS CASAS E ESCRITÓRIOS QUE PROJETA PARA CLIENTES FIÉIS, ENCANTADOS PELA PERSONALIZAÇÃO QUE SUA LINGUAGEM DE DESENHO PERMITE, E PELA BUSCA INCESSANTE DO BEM-ESTAR.

    Jorge Zalszupin por ETEL

    ETEL PASSA A REEDITAR AS PEÇAS DO ARQUITETO POLACO-BRASILEIRO JORGE ZALSZUPIN.

    Lia Siqueira por ETEL

    LIA SIQUEIRA LANÇA SUA PRIMEIRA COLEÇÃO DE MOBILIÁRIO COM A ETEL. DESTAQUE PARA A MESA CENTRAL COBOGÓ, LIVREIRO VOLPI E ESTANTE BEDUÍNA.

  • 2008

    2008

    3 Marias

    ETEL CARMONA LANÇA A LINHA DE MESAS LATERAIS E CENTRAIS MARIA PRECIOSA, DE GRANDE SUCESSO DE VENDAS. O CONJUNTO FOI CRIADO PARA REAPROVEITAR SOBRAS DE MADEIRAS DA MARCENARIA. O DESENHO CRIA UMA TRAMA ENTRE OS DIVERSOS TONS E TEXTURAS DOS SARRAFOS UTILIZADOS E ASSIM VALORIZA A NOBREZA DA MATÉRIA-PRIMA. OS TAMPOS, FEITOS DE PEDRAS SEMIPRECIOSAS COMO O LÁPIS-LAZÚLI REFORÇAM O SENTIDO DO NOME.

    Poltrona Verônica, por Jorge Zalszupin

    AOS 88 ANOS, APÓS UM HIATO DE QUATRO DÉCADAS SEM CRIAR MÓVEIS, JORGE ZALSZUPIN DESENHA PARA A ETEL A POLTRONA VERÔNICA, BATIZADA EM HOMENAGEM À SUA FILHA. O CONFORTO DO BANCO DE UMA MERCEDES BENZ QUE PERTENCEU A ETEL CARMONA O INSPIRARAM A CRIAR O ESPALDAR E ASSENTO QUE ABRAÇAM O CORPO.

  • 2009

    2009

    Estante Beduina de Lia Siqueira premiada no iF Award e Red Dot Design Award

    A ESTANTE DE LIVROS BEDUÍNA, DE LIA SIQUEIRA, É PREMIADA INTERNACIONALMENTE COM O IF AWARD E O RED DOT DESIGN AWARD. A ESTANTE É EXEMPLAR DOS EXPERIMENTOS DA DESIGNER COM AS TÉCNICAS DE MARCENARIA, PRINCIPALMENTE POR SUAS ARTICULAÇÕES QUE PERMITEM CONFIGURAÇÕES MUTANTES.

  • 2010

    2010

    Arthur de M. Casas para ETEL

    PRIMEIRAS PEÇAS DE ARTHUR DE M. CASAS PARA A COLEÇÃO ETEL. CURVAS OUSADAS SÃO UM CONVITE AO MANUSEIO NO APARADOR ONDAS E NA MESA DE TRABALHO ASA; JÁ NAS MESINHAS ARQUIPÉLAGO, O ARQUITETO EXPLORA AS FORMAS AMORFAS AO TRABALHAR A IMPERFEIÇÃO DE CURVAS E LINHAS.

  • 2011

    2011

    Mesas de Jogos por Dado Castelo Branco

    DADO CASTELLO BRANCO CRIA UMA COLEÇÃO DE MÓVEIS PARA JOGOS QUE MANIFESTAM SENTIMENTOS DE ACOLHIMENTO E NOSTALGIA: O TABULEIRO DE GAMÃO, A MESA DE JOGOS DADO E A MESA DE PING PONG – ESSA ÚLTIMA CRIADA EM 2014 EM PARCERIA COM ETEL CARMONA. COMBINADA À FINA CONFECÇÃO DOS DETALHES, É TOTAL A SINTONIA COM A ARQUITETURA DO PAULISTA.

    A icônica Cadeira de Oswaldo Bratke por ETEL

    A ETEL LANÇOU A CADEIRA OSWALDO BRATKE. A PEÇA, QUE ATÉ ENTÃO NÃO HAVIA SIDO PRODUZIDA EM ESCALA, GANHOU NOVA VERSÃO EM PAU-MARFIM E FORAM PRODUZIDAS 104 UNIDADES PARA CELEBRAR O MESMO NÚMERO DE ANOS QUE BRATKE COMPLETARIA NAQUELE DIA 24 DE AGOSTO

  • 2012

    2012

    Linha Atelier por ETEL

    A ADMIRAÇÃO MÚTUA E O ALINHAMENTO DE PRINCÍPIOS ENTRE ETEL CARMONA E CARLOS MOTTA CULMINAM NA TRANSFERÊNCIA PARA A ETEL DA PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DA LINHA ATELIER, CARACTERIZADA POR SUA MARCENARIA COMPLEXA. IDEALIZADAS ENTRE 1979 E 2005, AS 13 CADEIRAS E POLTRONAS SÃO RESPOSTAS A DEMANDAS ORA AFETIVAS, PARA AMIGOS E FAMILIARES, ORA ESPECÍFICAS, PARA MOBILIAR AS CASAS PROJETADAS PELO ARQUITETO.

    Kaixollas

    MARCELO CIPIS APRESENTA NA ETEL AS OBRAS KAIXOLLAS, CABEÇAS DE TIPOS HUMANOS PINTADAS SOBRE CAIXAS DE MADEIRA CONCEBIDAS POR ETEL CARMONA. SÃO 25 VARIAÇÕES DE FACES SOBRE FUNDOS COLORIDOS, COM ELEMENTOS RECORRENTES NA LINGUAGEM DO ARTISTA PAULISTANO, COMO FIGURAS GEOMÉTRICAS E COMPOSIÇÕES SURREALISTAS.

    Paulo Werneck

    COMO PARTE DO PROJETO DE RECUPERAÇÃO DA OBRA DE PAULO WERNECK (1907-1987), CAPITANEADO PELOS HERDEIROS DO GRANDE ARTISTA E INTRODUTOR DA ARTE MURAL EM MOSAICO, A ETEL CRIA UMA COLEÇÃO DE MÓVEIS E ACESSÓRIOS ADORNADOS COM MOSAICOS CERÂMICOS. OS DESENHOS FORAM TIRADOS DE CROQUIS E DE PAINEIS ORIGINAIS, COMO O DO PALÁCIO DO ITAMARATY DE NIEMEYER, E EXECUTADOS NO ATELIÊ DO ARTISTA.

    Roberto Mícoli

    O ARTISTA ROBERTO MÍCOLI, UM DOS EXPOENTES DA EXPOSIÇÃO QUE LANÇOU A “GERAÇÃO 80”, MARCADA PELA RENOVAÇÃO DA ARTE PICTÓRICA NO PAÍS, REALIZA PINTURAS SOBRE MADEIRA PARA SEREM APLICADOS EM BIOMBOS E APARADORES DESENHADOS POR ETEL CARMONA. AS COMPOSIÇÕES SÃO UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE A COR, COM PLANOS CROMÁTICOS PARALELOS E PERPENDICULARES QUE SE CRUZAM E SE SOBREPÕEM.

  • 2013

    2013

    IBÁ, por Domingos & Sarkis

    A COLEÇÃO IBÁ ASSINALA A ESTREIA DE DOMINGOS PASCALI E SARKIS SEMERDJIAN NO DESIGN DE MÓVEIS. OS ARQUITETOS, QUE FUNDARAM SEU ESTÚDIO EM 2010, CONHECERAM-SE NO ESCRITÓRIO DE ISAY WEINFELD. DO APRENDIZADO COM ELE, VEM O APREÇO POR ELEMENTOS INUSITADOS QUE DÃO UM CARÁTER TEATRAL AOS EDIFÍCIOS DE LINHAS CONTEMPORÂNEAS.

    De A a Z, por Isay Weinfeld

    A GALERIA LUISA STRINA CONVIDA ISAY WEINFELD PARA CRIAR UMA INSTALAÇÃO EM SEU ESPAÇO, EM SÃO PAULO. O ARQUITETO RECORREU À ETEL PARA PRODUZIR AS DUAS PEÇAS CENTRAIS À SUA IDEIA: UM BERÇO E UM CAIXÃO DE CONFECÇÃO DESAFIADORA, INSTALADOS RESPECTIVAMENTE EM UM AMBIENTE MUITO ESCURO E MUITO ILUMINADO.

    Anna Maria e Oscar Niemeyer por ETEL

    A ETEL REEDITA MÓVEIS ICÔNICOS DE OSCAR NIEMEYER, QUE SE DEDICOU À CRIAÇÃO DE MOBILIÁRIO APENAS NOS ANOS 1970, DURANTE SEU EXÍLIO EM PARIS, EM PARCERIA COM A FILHA ANNA MARIA. ESCULTURAL COMO SUA ARQUITETURA, O CONJUNTO PROTAGONIZA A MADEIRA COMPENSADA MOLDADA EM CURVAS OUSADAS, TAL COMO NO BANCO MARQUESA E NA CADEIRA DE BALANÇO RIO.

    ETEL 20 Anos

    EM 2013, A ETEL COMEMOROU 20 ANOS DE SUA PRIMEIRA LOJA, LOCALIZADA NO BAIRRO DE PINHEIROS, EM SÃO PAULO (SP). A MARCA REEDITOU UMA PEÇA ICÔNICA DE CADA UM DE SEUS DESIGNERS QUE, AO LONGO DOS ANOS, CONTRIBUÍRAM COM CRIAÇÕES EXCLUSIVAS PARA O CRESCIMENTO DA MARCA, COMO CLAUDIA MOREIRA SALLES, JORGE ZALSZUPIN, OSCAR NIEMEYER, CARLOS MOTTA, ENTRE OUTROS IMPORTANTES NOMES, NA MESMA DATA, DOMINGOS PASCALI E SARKIS SEMERDJIAN PASSARAM A INTEGRAR A COLEÇÃO ETEL.

  • 2014

    2014

    “De Sergio, para Adolpho”

    EXPOSIÇÃO “DE SERGIO, PARA ADOLPHO”, NA FEIRA IDA, LEVA PARA O RIO DE JANEIRO EDIÇÕES LIMITADAS, FEITAS EM RARAS PRANCHAS DE MADEIRA, DA POLTRONA E MESA DE TRABALHO QUE SERGIO RODRIGUES DESENHOU PARA ADOLPHO BLOCH. A MOSTRA FOI ACOMPANHADA DA PUBLICAÇÃO DE UM PEQUENO LIVRO, E ACABOU SENDO UMA HOMENAGEM AO GRANDE DESIGNER, QUE FALECEU POUCOS DIAS ANTES DA APRESENTAÇÃO.

    Alva Design, por ETEL

    IRMÃOS, SUSANA BASTOS E MARCELO ALVARENGA CRIARAM A ALVA DESIGN COMBINANDO SUAS FORMAÇÕES EM ARQUITETURA E ARTES PLÁSTICAS, RESPECTIVAMENTE. NOS APARADORES E GAVETEIROS PARA A ETEL, A SOBRIEDADE DO BLOCO DE MADEIRA É SUAVIZADA PELO COURO COLORIDO QUE PENDE DE HASTES INVISÍVEIS, FORMANDO REDES QUE, ALÉM DE ESCULTURAIS, SERVEM PARA APOIAR OBJETOS.

    Alva Design na MADE 2014

    PARA SEU STAND NA FEIRA MADE, A ETEL PEDIU AOS DESIGNERS QUE FIZESSEM PEÇAS DE TIRAGEM LIMITADA OU ÚNICA. MARCELO ALVARENGA E SUSANA BASTOS RESPONDERAM COM UMA SÉRIE DE ESPELHOS DE PENDURAR SINGULARES, EXECUTADOS EM MADEIRA DE DEMOLIÇÃO COMBINADA À INUSITADA CRINA DE CAVALO PARA AS CRIAR ALÇAS.

    Centenário de Lina Bo Bardi

    O CENTENÁRIO DE LINA BO BARDI (1914-1992) É CELEBRADO COM EXPOSIÇÕES, LANÇAMENTOS DE LIVROS E COBERTURA DA IMPRENSA QUE DERAM NOVA E IMPORTANTE LUZ À OBRA DE UMA DAS PRINCIPAIS ARQUITETAS DO SÉCULO 20. JUNTO AO SEU MARIDO PIETRO MARIA BARDI, LINA DESEMPENHOU PAPEL SEMINAL NA MODERNIZAÇÃO NÃO SÓ DA ARQUITETURA MAS DA CULTURA E DA ESTÉTICA BRASILEIRA.

    Publicação do livro

    É PUBLICADO O PRIMEIRO LIVRO QUE COMPREENDE DE MANEIRA EXTENSIVA A TRAJETÓRIA DE JORGE ZALSZUPIN. ESCRITO PELA FILÓSOFA E PROFESSORA MARIA CECILIA LOSCHIAVO, A PUBLICAÇÃO TRANSITA POR CINCO DÉCADAS DE TRABALHO, INVESTIGANDO ASPECTOS MENOS CONHECIDOS COMO A LINHA DE UTENSÍLIOS DE PLÁSTICO INJETÁVEL EVA. O LIVRO DA EDITORA OLHARES TEM ORGANIZAÇÃO DE LISSA CARMONA, DIRETORA DA ETEL.

  • 2015

    2015

    Arthur de M. Casas na Expo Milano

    O STUDIO ARTHUR DE M. CASAS PROJETA O PAVILHÃO BRASILEIRO DA EXPO MILANO 2015, DE GRANDE REPERCUSSÃO. A ESTRUTURA EM GRADIS DE AÇO CORTEN, VISUALMENTE LEVE E CONVIDATIVA, REMETIA A UM PERGOLADO SOB O QUAL PAIRAVA UMA REDE ONDE SE PODIA CAMINHAR, DEITAR, DESCANSAR. A PRAÇA PÚBLICA FLUTUANTE FOI UMA COCRIAÇÃO COM O ATELIER MARKO BRAJOVIC.

    Luminária Ani recebe prêmio máximo

    A LUMINÁRIA ANI VENCE O PRÊMIO ALEMÃO IF GOLD. FORMADA POR PEÇAS SOLTAS, ELA CONVIDA À INTERAÇÃO E PERMITE CINCO DIFERENTES POSIÇÕES. O DESENHO ASSINALA UMA CRESCENTE INTENÇÃO DA DUPLA: INTRODUZIR NAS LINHAS RETAS E INTUITIVAS DA ESTÉTICA CONTEMPORÂNEA CAMINHOS PARA O LÚDICO.

    Lina Bo Bardi por ETEL

    APÓS TENTATIVAS FRUSTADAS DE PRODUÇÃO INDUSTRIAL DE MOBILIÁRIO, LINA BO BARDI DESENHARIA APENAS MÓVEIS PARA OS SEUS PROJETOS DE ARQUITETURA, ENTRE ELES O MASP E A CASA DE VIDRO. A ETEL TRAZ PARA SEU CATÁLOGO A CADEIRA DOBRÁVEL DO AUDITÓRIO DA PRIMEIRA SEDE DO MUSEU, À RUA 7 DE ABRIL, E A CADEIRA DE BALANÇO, A POLTRONA BOLAS DE LATÃO E A POLTRONA TRÊS PÉS METAL, ESSAS DA RESIDÊNCIA DA ARQUITETA NO MORUMBI.

    Scapinelli por ETEL

    UM DOS MAIS SOLICITADOS ARQUITETOS DA ELITE PAULISTANA, O ITALIANO GIUSEPPE SCAPINELLI CONCILIOU O MOVIMENTO DO MÓVEL MODERNO COM AS ARTES DECORATIVAS EUROPEIAS. A ETEL ELEGEU PARA A REEDIÇÃO QUATRO CADEIRAS DE JANTAR, CARACTERIZADAS PELO USO DO PÉ-PALITO E PELA ESBELTEZA DOS ESPALDARES, QUE SOLICITAM DO USUÁRIO UMA POSTURA ERETA E ELEGANTE, COMO À ÉPOCA DE SUA CRIAÇÃO.

    Lia Siqueira, por ETEL

    CINCO NOVOS PROJETOS SAEM DAS PRANCHETAS DE LIA SIQUEIRA PARA A MARCENARIA DA ETEL. ENTRE ELAS, PEÇAS DE TÉCNICA EXIGENTE COMO A MESA CORAÇÃO DE MADEIRA E A POLTRONA INFINITO. JÁ NA MESA INSTITUTO, UMA PARCERIA CRIATIVA RARA: LIA ENVIOU O CROQUI AO AMIGO SERGIO RODRIGUES, QUE LHE VOLTOU COM UM REDESENHO. A BASE DA MESA SE FAZ DA JUNÇÃO DE DOIS PÉS EM FORMATO DE ‘L’.

  • 2016

    2016

    Claro/Escuro: Claudia Moreira Salles na SP-Arte/Design

    A EXPOSIÇÃO INDIVIDUAL NO STAND DA ETEL NA FEIRA SP-ARTE/DESIGN REÚNE CRIAÇÕES REPRESENTATIVAS DE NOVOS DIRECIONAMENTOS DO TRABALHO DE CLAUDIA MOREIRA SALLES: O USO DE MATERIAIS CONTRASTANTES COM A MADEIRA, COMO O LIMESTONE E O CONCRETO DE ALTA PERFORMANCE, E O DESENHO DE OBJETOS.

    Lasar Segall, Modernismo materializado em si

    TAL QUAL JOHN GRAZ E FLÁVIO DE CARVALHO, LASAR SEGALL FOI EMINENTEMENTE UM ARTISTA PLÁSTICO DA VANGUARDA MODERNA NO BRASIL, MAS QUE, EM SEU ESFORÇO DE MODERNIZAR A ESTÉTICA DO PAÍS COMO UM TODO, TAMBÉM DESENHOU MÓVEIS. CRIADO EM EDIÇÕES ÚNICAS PARA SUA RESIDÊNCIA EM SÃO PAULO, HOJE SEDE DO MUSEU LASAR SEGALL, CADEIRA, MESA, REVISTEIRO E CONVERSADEIRA MODULAR, QUE REMETEM À PRIMEIRA FASE DA ESCOLA BAUHAUS EM WEIMER, ADENTRAM A COLEÇÃO ETEL.

    Reedições de Jayme Fonseca Rodrigues.

    JAYME FONSECA RODRIGUES FOI ARQUITETO NO ESTILO “ARTE TOTAL” QUE PRODUZIU UMA VASTA OBRA DURANTE OS ANOS 1920 E 30 EM SÃO PAULO. EM 2016, SEU MOBILIÁRIO PASSOU A SER REEDITADO PELA ETEL.

    Four Seasons, por Isay Weinfeld

    UM CONCURSO INTERNACIONAL ELEGE ISAY WEINFELD PARA A HONROSA TAREFA DE REDESENHAR O ICÔNICO RESTAURANTE DO FOUR SEASONS DE NOVA YORK, PROJETO ORIGINAL DE PHILIP JOHNSON. O HOTEL, QUE SAI DO SEAGRAM BUILDING E PASSA A OCUPAR UM EDIFÍCIO NA 280 PARK AVENUE, TERÁ MOBILIÁRIO DE EDIÇÃO LIMITADA DA ETEL, DESENHADO COM EXCLUSIVIDADE PELO ARQUITETO.

  • 2017

    2017

    Lina Bo Bardi, Designer por ETEL

    O STUDIO DE ARTE PALMA E A FÁBRICA PAU BRASIL FORAM ABERTOS POR LINA BO BARDI, PIETRO MARIA BARDI E GIANCARLO PALANTI EM 1948, COM O INTUITO DE FABRICAR MÓVEIS EM LARGA ESCALA. APESAR DOS CURTOS TRÊS ANOS DE DURAÇÃO, RESTARAM DESSE EXPERIMENTO VÁRIOS DESENHOS E PROJETOS, EM QUE SE DESTACAM O USO CONCISO DE MATÉRIA-PRIMAS COMO O COMPENSADO DE MADEIRA E O VERGALHÃO DE FERRO. EM 2017, A ETEL RECOLOCA EM PRODUÇÃO CARRINHO DE CHÁ, MANCEBO, REVISTEIRO, POLTRONA E MESA TRÍPLICE.

    Relicários: Etel Carmona & Carlos Vergara

    ETEL CARMONA E L’ARTISTA CARLO VERGARA COLLABORANO PER LA CREAZIONE DI RELICARIOS: UNA COLLEZIONE DI MOBILI PRESENTATI ALLA FIERA SP-ARTE/DESIGN. I TAVOLI E IL PARAVENTO MOSTRANO FESSURE, APERTURE E COMPARTIMENTI, ALLE VOLTE SEGRETI, CHE CUSTODISCONO I RICORDI DI VERGARA. STAMPE, FOTOGRAFIE E SOUVENIR DA SCOPRIRE ALL’INTERNO DEI PEZZI, OGGETTI APPARTENUTI ALL’ARTISTA-VIAGGIATORE, RACCOLTI O CREATI DURANTE I SUOI VIAGGI.